01 de Outubro: dia do idoso…

idoso

Segundo o IBGE , pessoas com mais de 60 anos são hoje 12,6% da população, ou 24,85 milhões de indivíduos – em 2011.  É o mesmo que toda a população de Moçambique e Angola. Ou ainda, quatro vezes a população da Croácia e duas vezes a população de Portugal.

O idoso de hoje não é o mesmo que o idoso de antigamente, né?!rs Os vovôs e vovós de agora fazem muito mais  atividades físicas, estão conseguindo manter-se muito mais autônomos…dançam, viajam, trabalham e bombam seus perfis na internet. Eu passei a minha infância e adolescência cercada de muitos vovôs e vovós, então a dica da cozinha da Rafinha de hoje é pra essa galerinha!!!

Aprendi com a minha mãe que a escolha de determinados alimentos e hábitos alimentares saudáveis para os idosos é algo muito importante, já que nesta fase o organismo vai respondendo de forma diferente. Os alimentos podem ajudar a manter um ritmo melhor. Nada como usar o alimento a favor!!!

Idodo1

Zinco

Com a idade, há uma diminuição natural da imunidade, que é reforçada com a ajuda do zinco. Este mineral ainda tem ação antioxidante, desacelerando o envelhecimento das células e ajuda a manter o tamanho da próstata, geralmente aumentada com a idade. “O zinco também atua na percepção, mantendo os cinco sentidos na terceira idade”, afirma a nutricionista Ana Maria Figueiredo Ramos, da Unifesp. Uma boa fonte de zinco são as oleaginosas, como nozes e castanhas, além de carnes e arroz integral.

idoso2

Cálcio

O desgaste ósseo acaba levando ao desenvolvimento da osteoporose na terceira idade. “O consumo de alimentos fontes de cálcio, como o gergelim, os folhosos verde-escuros e a quinua agem na prevenção de doenças como osteoporose e osteopenia”, afirma a nutricionista da Unifesp. Wilson Rondó também lembra que, além da ação sobre os ossos, o cálcio também é fundamental para manter o ritmo cardíaco e para a saúde do cérebro: este mineral permite que os neurotransmissores funcionem com qualidade, de forma que os estímulos neurológicos aconteçam normalmente.

Vitamina D

De nada adianta investir no cálcio sem a vitamina D, necessária para que o organismo consiga absorver o mineral e aproveitá-lo. “A vitamina D metaboliza o cálcio no osso”, explica o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital São Luiz, em São Paulo. O envelhecimento leva a uma diminuição da absorção intestinal da vitamina D ativa e da capacidade da pele de produzir o seu precursor, a vitamina D3. “Mas a reposição de vitamina D precisa ser feita com muito cuidado. Em excesso este nutriente pode levar à hipercalcemia (alta concentração de cálcio no organismo), podendo levar a cálculos renais e constipação intestinal – ainda mais se a ingestão de cálcio for alta demais”, completa. Para obter a vitamina D, o segredo é tomar de 15 a 20 minutos de sol por dia. Outra opção é consumir cápsulas de óleo de fígado de bacalhau, desde que haja orientação médica.

Fibra

Os idosos sofrem especialmente com a prisão do ventre. Segundo Ana Maria Ramos, isso tem duas explicações principais: efeito colateral de alguns medicamentos, como os usados no controle de diabetes e hipertensão, e a diminuição no consumo de alimentos mais ricos em fibras, por dificuldades com a mastigação. “Linhaça, farelo de trigo, de arroz, de aveia pode ser adicionados às frutas ou no mingau e são boas fontes de fibras solúveis”, indica a especialista. Para complementar, é preciso beber ao menos 1,5 litro de água por dia.

 

idoso3

Potássio

Remédios contra a hipertensão, muito usados por pacientes idosos, costumam ter ação diurética. “Isso leva à maior perda de potássio, mineral que reduz os níveis de sódio no organismo, diminuindo o risco de hipertensão arterial e derrame”, explica Ana Maria Ramos. O potássio também é eficiente no combate à prisão de ventre. Alguns alimentos ricos em potássio são: banana, soja, damasco, abacate, iogurte, ameixa, melancia, feijões e ervilha.

idoso4

Antioxidantes

O processo oxidativo é constante no organismo, radicais livres são formados a todo tempo e levam a lesões nas células. No idoso, a recuperação desses danos é mais lenta e, nem sempre, acontece totalmente. Para melhorar as respostas do organismo ao envelhecimento, existem os nutrientes antioxidantes, caso dos carotenóides, das vitaminas C e E, além do selênio. “Os carotenóides são encontrados na laranja, cenoura, abóbora e vegetais folhosos, como couve e espinafre. A vitamina C é encontrada nas frutas cítricas e vegetais como brócolis e pimentão. A vitamina E está presente nos óleos vegetais e gérmen de trigo. A castanha do Brasil é a maior fonte de selênio”, diz a nutricionista.
Luteína e zeaxantina, substâncias de nome estranho, são antioxidantes importantes para a saúde ocular. Eles diminuem o risco de doença oftalmológica como a catarata e a degeneração macular, males relacionados com a idade e que podem levar a cegueira. Você encontra esses nutrientes na gema de ovo e nos vegetais de folhas verdes escuras.

 

Vitaminas do Complexo b

As vitaminas B1, B6, B12 e ácido fólico atuam no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras. Elas fortalecem o sistema imunológico e mantém o cérebro saudável por proteger os tecidos nervosos contra a oxidação, aumento da memória e por isolar as células nervosas. “Além disso, o complexo B é necessário para a produção de neurotransmissores”, completa a nutricionista da Unifesp. As principais fontes são os cereais integrais, leguminosas em geral, oleaginosas e sementes.

 

Vale a pena ressaltar que o primordial de toda a alimentação e medicação é a orientação médica 😀

Bjs!!

Rafa

 @CozinhaRafinha – Nos siga no Twitter: além das receitas, dicas e truques da nossa cozinha

Anúncios